quarta-feira, 29 de julho de 2009

Relações Públicas na ofensiva da Petrobras.

Por Mateus Martins, estudante de Relações Públicas da UFRGS

Li na Exame 946, ná página 84, a Ofensiva da Petrobras e o que me chamou atenção, mais do que o próprio conteúdo do texto, foi o destaque atribuído às relações públicas no subtítulo: Para barrar a CPI, a empresa iniciou uma grande operação de articulação política e de relações públicas - um movimento no qual a faceta de estatal tem prevalecido sobre a de corporação global.

Reza a sabedoria popular que é possível saber como uma CPI começa, mas é impossível saber como ela vai terminar. A imprevisibilidade, somada ao fato de que as investigações podem arruinar a reputação de corporações, transforma a condição de alvo desta investigação em um dos piores pesadelos organizacionais. Ao certo sabemos que aprovada no Senado em meados de maio, a CPI da Petrobras ainda não tinha instalada até a data de veiculação da revista (1° de julho), pois depois de 3 tentativas e dois meses de negociação a CPI saiu do papel e foi instaurada em 14 de julho (mas os trabalhos só começarão em agosto, com o controle do governo, é claro, pois na CPI a presidência é do PT e relatoria é do PMDB). Menos mal para a empresa!

A Petrobras não é uma empresa qualquer, trata-se da maior companhia brasileira e uma das maiores do mundo. Nos próximos quatro anos, planeja investir 174 bilhões de dólares e a última coisa que a direção da Petrobras - e o próprio governo - desejavam neste momento é ter esses projetos atravancados por uma investigação parlamentar.

E por este motivo lançou mão de duas estratégias, que, tendo em vista o tempo em que a comissão ficou de molho no Senado, foram bastante produtivas: articulação política e relações públicas. O texto da revista divide estas duas estratégias, contudo eu não as diferencio (não querendo puxar a brasa para o nosso assado, mas já puxando), pois considero a articulação política (o lobby – bem ao estilo Spin Doctor – como nos EUA em que ser lobista é uma profissão reconhecida e a atividade em si é regulamentada por leis e não no sentido brasileiro pejorativo/depreciativo), uma ferramenta das relações públicas. Então, para nível de entendimento, distinguo as ações em dois canais, comunicação interpessoal e interação mediada por computação:

Comunicação interpessoal
Nesse aspecto, a Petrobras é uma companhia diferente, e não apenas por seu porte ou importância estratégica. Sabemos que ela não funciona como os Correios, que apanharam do começo ao fim da CPI que os investigou em 2005. É uma empresa agressiva, forte e ágil. E partiu para o ataque. E para isso, a Petrobras tem na presidência de uma de suas coligadas, a BR Distribuidora, um profundo conhecedor da dinâmica e das idiossincrasias do Senado Federal. Trata-se de José Eduardo Dutra, ex-senador pelo PT de Sergipe, que desde o início de junho, a cada terça-feira deixava a sede da empresa, no Rio de Janeiro, e viajava para Brasília, de onde só voltava na quinta-feira à noite.

Sua função era basicamente fazer lobby, articulação política, ou seja, monitorar o humor dos parlamentares em relação à Petrobras e tentar enfraquecer o movimento pró-CPI. Diariamente, Dutra municiava de informações o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli. Gabrielli também saiu a campo, percorrendo gabinetes de senadores, inclusive os da oposição, para falar da inconveniência da CPI para o país. Ele se valia do ótimo e pertinente argumento de que a investigação só serviria para dar popularidade a políticos e atrapalhar a execução do plano de investimentos da empresa, prejudicando o desenvolvimento do país.

Interação mediada por computação
Já foi postado aqui e muito comentado sobre o blog Fatos e Dados (agora com endereço e hospedagem nova, antes o petrobrasfatosedados.wordpress.com agora é blogspetrobras.com.br/fatosedados e com o tamplate remodelado, ver imagem).

Neste tempo todo, muitas versões foram discutidas, uns a favor, outros contra a atitude, e a revista, representando seu papel imparcial, traz também ambas as versões: Não faz sentido uma empresa que precisa ganhar espaço na mídia criar conflito desnecessário com jornalistas, disse a diretora de uma das maiores agências de comunicação do país e Foi uma grande sacada. Expôs a imprensa toda e colocou a mídia na defensiva, disse um diretor da estatal.

Importante destacar o papel das relações públicas nesta estratégia da Petrobras de gerenciamento desta delicada situação e também o destaque que um respeitado veiculo oferta às relações públicas, percebendo e destacando o termo no subtítulo da matéria. A empresa lançou mão destas duas estratégias ofensivas de comunicação, pode-se perceber, sem idealismos e juizo de valor políticos, a intenção de partir para o ataque e antever cenários futuros. E você, concorda com esta postura da Petrobras?

13 comentários:

A Bordo 30 de julho de 2009 11:04  

Admiro a comunicação da Petrobrás, e gostei muito dessa sua divisão. E faço uma indicação em relação ao maior entendimento sobre lobby, o filme Obrigado Por Fumar, muito bom.

Daniele.

Mano Delazeri 30 de julho de 2009 13:17  

achei bastante corajosas as ações tomadas pela Petrobras,

antes refem das grandes mídias, e agora fazendo elas pensarem duas vezes antes de publicarem qq materia

bela analise Mateus

Elvira 31 de julho de 2009 00:17  

Ah não essa é a quarta vez tentando comentar e o meu explorer dando erro.

Resumidamente
1 - A Petro tá fazendo o que cabe a ela né? Procurando se proteger.
2- O filme que ia indicar já foi indicado.
3- Dizem é que o fim de CPIs é pizza rs
4- Bom texto.

rsrsrs

Cibele Silva 31 de julho de 2009 13:43  

Belo post Mateus.
Eu concordo com a postura da Petrobrás, tbm sou da mesma opinião que o blog não é sinômino de prejudicar a imprensa.

Acho incrível que com tantos anos de RP q existem, ainda nos admiramos qdo o nome de nossa profissão sai em grandes veículos. rs

Abraços,
Cibele (A Bordo)

Fabio Procópio 31 de julho de 2009 15:21  

Pensei a mesma coisa que a Cibele. Sempre existe a preocupação em saber o que é veiculado sobre as relações públicas. Concordo com a atitude da petrobrás, no que diz respeito ao blog.

E o filme, é interessante, mas ainda não acho um modelo ideal a ser seguido, tanto em se tratando de RP, quanto lobby.

Abraço

The Who! 31 de julho de 2009 19:30  

Olá Mateus,
Conconcordo com você sobre a "profissão" ser uma caracteristíca e uma função dos RP's.
Adorei sua visão sobre a Petrobras e concordo com ela.
Mas, o mais interessante disso tudo é ver nosso profissão ser valorizada.

Abraços,
Maira - MakeCom

Ocappuccino 31 de julho de 2009 21:40  

Agradeço a todos os comentários. E ficamos todos felizes com a valorização das RRPP.

Abraços,
Mateus

Mayara Faria 3 de agosto de 2009 12:55  

Adorei o texto Mateus!

É sempre ótimo podermos ver que a nossa área está cada vez sendo mais reconhecida.

Mas ainda acho que a base de conhecimentos que adquirimos na universidade não supre as necessidades do mercado. Nada como compartilhar este tipo de informação para podermos inovar as nossas ações dentro das empresas que trabalhamos.

Abraços,
Mayara.

Anônimo 3 de agosto de 2009 16:59  

Parabéns pelo texto Matheus!!!

No dia 5 de junho eu tbm escrevi sobre a postura da Petrobrás diante da CPI e tbm achei que eles não vacilam quando o assunto é comunicação.
O departamento deles conta com mais de 1000 profissionais e a Comunicação Institucuional é ligada diretamente á presidência.

Uma coisa que me impressionaou foi a agilidade da companhia para responder os jornalistas, todo comentário feito em relação á CPI em um dia é respondido no outro.
Eles também sempre respondem os internautas.
Eu acho que estão utilizando mto bem essa a ferramenta do blog, feedback é tudo.

Abcs,

Talita Sales

Ocappuccino 3 de agosto de 2009 21:29  

É isso ai Mayara, ponto pra nós que logo nos formaremos.

Talita, me informa qual é o teu blog, pois não deixou link nenhum. No aguardo.

Mateus d'Ocappuccino

Talita 3 de agosto de 2009 22:04  

Ops......

Segue o link:
http://onevoicerp.blogspot.com/search?updated-max=2009-06-05T23%3A59%3A59-03%3A00&updated-min=2009-06-05T00%3A00%3A00-03%3A00

Eu escrevo no OneVoice. Vc comentou a entrevista que eu e uma amiga (a Juh camargo) fizemos com a profª Jocélia Mainardi sobre RP & Globalização. A 2ª parte tah saindo!!!

Até mais!!

Talita Sales

Talita 3 de agosto de 2009 22:05  

Ops......

Segue o link:
http://onevoicerp.blogspot.com/search?updated-max=2009-06-05T23%3A59%3A59-03%3A00&updated-min=2009-06-05T00%3A00%3A00-03%3A00

Eu escrevo no OneVoice. Vc comentou a entrevista que eu e uma amiga (a Juh camargo) fizemos com a profª Jocélia Mainardi sobre RP & Globalização. A 2ª parte tah saindo!!!

Até mais!!

Talita Sales

Ocappuccino 4 de agosto de 2009 00:32  

Agora sim, lido e comentado. Já aguardo a sequência do post sobre a prof.

Abraços,
mateus d'ocappuccino

Related Posts with Thumbnails

RPs blogs e blogueiros

Outros blogs e blogueiros

  © Ocappuccino.com :: Desde junho de 2008 - Porto Alegre - RS - Brasil | contato@ocappuccino.com | @ocappuccino |

Home